Create a Joomla website with Joomla Templates. These Joomla Themes are reviewed and tested for optimal performance. High Quality, Premium Joomla Templates for Your Site

AGENDE CONSULTA - LIGUE (11) 5543-1612/5093-4512 - WhatsApp: (11) 98385-8841

Dieta Low Carb e Diabetes: níveis de restrição de carboidrato

Uma dieta com baixo teor de carboidratos (dieta low carb) é definida como uma restrição de carboidrato menor que 130g/dia ou menos de 30% de carboidratos da ingestão calórica total. A dieta low carb têm efeitos benéficos no controle glicêmico, na perda de peso e nos perfil lipídico em comparação com dietas ricas em carboidratos e com baixo teor de gordura (energia restrita). Embora a segurança em longo prazo não tenha sido comprovada por estudos intervencionistas, nenhum dano grave resultou da utilização de uma alimentação low carb durante vários anos.

 

Esse estudo foi projetado para investigar os efeitos de uma dieta low carb, definida com base na hemoglobina glicada, e os efeitos da variação do consumo de carboidrato em grama por dia (Δcarboidrato g/dia), em vez de volume absoluto de carboidrato, no controle glicêmico.

 dieta low carb e diabetes restrição de carboidratos

O princípio dessa proposta de dieta low carb recomendada nesse estudo é eliminar alimentos ricos em carboidratos uma ou duas vezes por dia, no café da manhã e/ou jantar. Os pacientes foram instruídos a evitar alimentos ricos em carboidratos de acordo com uma lista.

 

Para a presente pesquisa, com base nos resultados de estudos anteriores, foi adicionado uma categoria de restrição de carboidratos menos rigorosa para os pacientes com diabetes tipo 2 com níveis mais baixos de HbA1c (hemoglobina glicada), de modo que os pacientes foram divididos em três grupos de acordo com sua HbA1c de base: ≤ 7,4% (Grupo 1), 7,5% - 8,9% (Grupo 2) e ≥ 9,0% (Grupo 3).

 

Os pacientes com níveis de HbA1c ≤ 7,4% foram instruídos a restringir alimentos ricos em carboidratos para metade da quantidade usual no jantar, aqueles com 7,5% - 8,9% foram instruídos a eliminá-lo no jantar e aqueles com níveis ≥ 9,0% restringiram no jantar e café da manhã. Os pacientes não foram obrigados a calcular a ingestão diária de carboidratos.

 

Apesar dos pacientes serem proibidos de consumir carboidratos entre as refeições, eles foram autorizados a comer proteína e gordura na quantidade desejada, incluindo gorduras saturadas. Não havia outras restrições.

 

O nível habitual de atividade física foi mantido durante todo o estudo.

 

O índice de massa corporal (IMC), pressão arterial (PA) e nível de HbA1c (hemoglobina glicada) foram avaliados mensalmente.

 

As características iniciais dos 122 pacientes, incluindo os parâmetros clínicos e biológicos, estão apresentadas abaixo. O nível médio de HbA1c foi de 8,1 ± 1,6% (intervalo: 6,5 - 14,1%). Os níveis médios foram de 6,9 ± 0,4% para o Grupo 1, 8,1 ± 0,4% para o Grupo 2 e 10,6 ± 1,4% para o Grupo 3.

 dieta low carb e diabetes

 

Os níveis basais de HbA1c foram positivamente correlacionados com a ingestão de carboidratos inicial (g / dia).

 

A ingestão média de carboidratos (g / dia) diminuiu significativamente, de 274 ± 78 g (54 ± 8% da energia total) na linha de base para 168 ± 52 g (41 ± 11%) após 6 meses. O consumo total de energia também diminuiu significativamente. Houve um ligeiro aumento na ingestão de gordura, mas foi significativo. Embora não tenha havido alteração na ingestão de proteínas ao longo de 6 meses, a proporção de proteína aumentou significativamente devido a um declínio acentuado no consumo total de energia.

 

Em comparação com o valor basal, os níveis médios de hemoglobina glicada e glicemia de jejum diminuíram significativamente ao longo de 6 meses, de 8,1 ± 1,6 para 7,1 ± 0,9%.

 

No inicio do estudo, 36 dos 122 pacientes (30%), já recebiam medicamentos hipoglicemiantes prescritos por outros médicos. No final do estudo, o número de pacientes em uso desses medicamentos diminuiu para 17 (14%), ou seja, metade do inicial. Em 25 pacientes, a medicação foi eliminada ou reduzida no período do estudo.

 

dieta low carb e diabetes retricao de carboidratos grafico 

No presente estudo, em doentes japoneses com diabetes tipo 2, uma dieta low carb de 3 graus, definida de acordo com a HbA1c basal (≤ 7,4%, 7,5% - 8,9% e> 9,0%) conduziu a reduções notáveis no consumo tanto de carboidratos como de energia total. Apesar de não ter restrições na ingestão total de energia ou ingestão de gordura, a ingestão de gordura não aumentou o suficiente para compensar a redução notável na ingestão de carboidratos neste estudo. A notável diminuição no consumo total de energia durante 6 meses, portanto, foi quase certamente devido a uma grande redução na ingestão de carboidratos, e não uma redução na ingestão de gordura. Nestas circunstâncias, o carboidrato (g/dia) foi correlacionado com a variação da hemoglobina glicada independentemente da ingestão total de energia.

 dieta low carb e diabetes resultado

 

A dieta low carb com restrição de carboidratos a 37% (Δ% de carboidratos: -17%) levou a uma redução de 3,1% nos níveis de HbA1c nos pacientes do Grupo 3.

 

Ao final do estudo, a ingestão diária de carboidratos e os níveis de hemoglobina glicada foram 153 g e 7,5% no Grupo 3, 165 g / dia e 7,5% no Grupo 2 e 178 g e 6,4% no Grupo 1, respectivamente. Os resultados foram relativamente próximos um do outro, apesar da grande diferença nos níveis de HbA1c e ingestão de carboidratos no inicio do estudo, que variou de 6,5 a 14,1% e 140 a 579 g/dia, respectivamente.

 

A piora do controle glicêmico em doentes com níveis mais elevados de hemoglobina glicada pode ocorrer devido à diminuição da secreção endógena de insulina e / ou à má adesão alimentar. No presente estudo, a variação da hemoglobina glicada não foi associada com os níveis iniciais de resistência a insulina, embora estivesse claramente correlacionado com a variação de consumo de carboidrato. Assim, uma ingestão mais alta de carboidratos devido à má aderência dietética parece ser mais importante como causa de piora do controle glicêmico do que a secreção endógena de insulina.

 

Em conclusão, a estratificação de três graus de restrição de carboidratos, dependendo dos níveis basais de HbA1c (hemoglobina glicada) dos pacientes, atingiu níveis de HbA1c de cerca de 7,0% após 6 meses, apesar das grandes diferenças nos níveis iniciais de HbA1c e ingestão de carboidratos. Descobriu-se que quanto maior a redução na ingestão de carboidratos (g / dia), maior a diminuição nos níveis de HbA1c. Demonstrou-se também que a quantidade de carboidratos necessária para se obter uma certa HbA1c diminui em cada grupo. Essa estratégia de dieta low carb pode fornecer aos pacientes com diabetes tipo 2 uma forma prática para a restrição de carboidratos e impedir que a restrição seja desnecessariamente rigorosa.

 

Na CONSULTA COM O ENDOCRINOLOGISTAtire as suas dúvidas e informe-se. A informação é um importante remédio no TRATAMENTO DO DIABETES!

 Saiba mais sobre o Diabetes:

- Dieta Low Carb e Diabetes - tudo o que você precisa saber!

- Diabetes - Educação em Diabetes - Índice

ImprimirEmail

Consultórios

 

Clínica Instituto Aster

Unidade Campo Belo - Brooklin
Rua Paiaguás, 152
www.astermedicina.com.br

Hospital Israelita Albert Einstein

Unidade Perdizes - Higienópolis
Rua Apiacás, 85 3º andar
www.einstein.br

dr rodrigo bomeny

Conteúdo de caráter informativo. Consulte sempre um endocrinologista.

Copyright © Dr Rodrigo Bomeny. Todos os direitos reservados.

Endocrinologista SP - São Paulo - Zona Sul e Zona Oeste

Endocrinologista USP - Coaching em Saúde e Emagrecimento

instagram

Siga no Instagram: @dr.rodrigobomeny

Site criado por Empório de Sites e otimizado por Agencia Digital