Create a Joomla website with Joomla Templates. These Joomla Themes are reviewed and tested for optimal performance. High Quality, Premium Joomla Templates for Your Site

AGENDE CONSULTA - LIGUE (11) 5543-1612/5093-4512 - WhatsApp: (11) 98385-8841

Diabetes e a Alimentação - qual a importância?

 

Muitos fatores interferem no controle do diabetes, sendo alguns passíveis de serem modificados pelas próprias pessoas com diabetes, tais como a quantidade e qualidade dos alimentos ingeridos, a frequência de atividade física, o monitoramento da glicemia capilar e o uso correto das medicações receitadas, nas suas doses e horários corretos. Mesmo pequenas mudanças podem interferir no controle da glicemia (açúcar) no sangue!

 

O hábito de se alimentar de forma saudável e a aderência ao tratamento medicamentoso melhoram muito o controle do diabetes, proporcionando valores de glicemia adequados, diminuindo o risco do aparecimento de complicações relacionadas ao diabetes, tais como doenças do coração, diminuição das funções dos rins (nefropatia diabética) e acometimento dos nervos (neuropatia). Além disso, essas medidas impactam positivamente no controle do peso!

 

O endocrinologista, assim como a nutricionista, pode ajudar na criação de um plano alimentar de acordo com as preferências pessoais e necessidades de saúde específicas, proporcionando uma dieta prazerosa e ao mesmo tempo saudável!

 

A alimentação saudável é aquela que atende às necessidades nutricionais de cada indivíduo, com o consumo de alimentos de qualidade e em quantidades suficientes para a manutenção de um peso corpóreo adequado.

 

PESO

 

Define-se caloria como a energia produzida por determinados componentes dos alimentos quando estes são utilizados pelo organismo. Estas calorias são necessárias para manter o funcionamento do corpo.

 

A obesidade está muito associada ao Diabetes tipo 2. A perda de uma pequena quantidade de peso, algo em torno de 5 a 10% do peso corporal, melhora muito a ação da insulina (diminuindo a resistência a insulina), diminuindo a glicemia e melhorando o controle do diabetes. O fato de comer menos carboidrato, independente da perda de peso, também ajuda na melhora do açúcar no sangue.

 

Existem várias estratégias para ajudar no emagrecimento. Dietas Low Carb, atividade física, medicações antiobesidade, cirurgia, entre outras. O controle do peso faz parte do tratamento do diabetes!

 

O ganho de peso pode ser um efeito indesejado do uso de insulina e de algumas medicações usadas pelos pacientes com diabetes tipo 2. Mas é possível evitar o ganho excessivo de peso com algumas recomendações:

 

- Pese-se com freqüência - pelo menos 1x por semana. O ganho de mais de 1kg significa que algo não está saindo como o planejado, sendo necessário ajustes na alimentação e na atividade física. Não espere ganhar muitos quilos para mudar o seu estilo de vida!

 

- Se a sua glicemia está ficando muito baixa em determinado período do dia, converse com o seu endocrinologista. Talvez seja melhor diminuir a dose da medicação (insulina ou hipoglicemiante oral) ao invés de comer mais.

 

ÁLCOOL

 

Quem tem diabetes precisa tomar cuidado com a ingestão de bebidas alcoólicas. O consumo de pequenas quantidades, tais como uma taça de vinho para as mulheres ou duas taças de vinho para os homens, não alteram muito os valores de glicose no sangue. Entretanto, ingentes maiores podem aumentar a glicemia logo após o consumo e causar hipoglicemia horas depois. Portanto, é preciso monitorar de perto a glicemia nessas situações, sendo as vezes necessário ajustes nas doses de insulina.

 

Bebidas alcoólicas misturadas com frutas, tipo batidas, podem aumentar a glicemia e o número de calorias ingeridas. É importante lembrar que o álcool tem calorias, com baixo valor nutricional, interferindo também no controle do peso!

 

CARBOIDRATOS

 

Chamamos de nutrientes os componentes dos alimentos que têm funções específicas e são fundamentais para o bom funcionamento do organismo e manutenção da saúde. Eles podem ser classificados em macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) e micronutrientes (vitaminas e minerais).

 

Os carboidratos estão presentes em todos os alimentos, e incluem os cereais e derivados (arroz, trigo, centeio, cevada, milho, aveia, farinhas de trigo, massas, pães, biscoitos, macarrão), tubérculos (batata-doce, inhame, mandioca), vegetais, leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, soja), doces e açucares. A maioria das carnes e gorduras contem pouca quantidade de carboidrato.

 

As frutas também contêm carboidratos! Muitas pessoas esquecem-se desse detalhe e as consomem em grandes quantidades, de uma vez só, alterando desfavoravelmente a glicemia. Todas as frutas podem ser consumidas, não existe fruta proibida. No entanto, não se deve consumi-las à vontade! Sendo sempre recomendável ingerir as frutas menos doces (frutas vermelhas, coco e abacate)

 

Os carboidratos, quando digeridos, são convertidos em glicose e ela é uma das fontes de energia para as diferentes células que compõem o nosso corpo. Mas gorduras também são um fonte muito importante de energia, sendo muito utilizadas na vigência de uma alimentação Low Carb.

 

Os carboidratos são quem causam mais impacto na glicemia (açúcar no sangue), enquanto as proteínas e gorduras causam pouco impacto. O menor consumo de carboidrato nas refeições ajuda no controle do diabetes, mantendo uma glicemia mais estável!

 

Comer sempre a mesma quantidade e no mesmo horário é muito importante, principalmente para as pessoas que fazem uso de insulina ou medicações que estimulam a liberação de insulina pelo pâncreas (ex. sulfoniuréias). Nessas situações, se uma refeição é “pulada” ou “atrasada” o risco de uma hipoglicemia (açúcar muito baixo no sangue) aumenta muito.

 

É importante saber a composição nutricional dos alimentos. Isso possibilita uma escolha mais saudável e equilibrada no momento da refeição. Deve-se ter a preocupação de se ler o rótulo e checar as quantidades de nutrientes fornecidas por determinado alimento, identificando e interpretando o tamanho da porção, calorias fornecidas por porção e a quantidade de carboidratos, proteínas e gorduras fornecidas por porção.

 

Algumas vezes pode ser recomendado o consumo de determinada quantidade de carboidrato, proteína e gordura em uma refeição. Isso não quer dizer que você precisa comer o mesmo alimento todos os dias, apenas manter a proporção de nutrientes. O ideal é que as substituições (as trocas) ocorram entre os mesmos grupos, ou seja, pão pode ser trocado por algum alimento do mesmo grupo, como arroz ou macarrão.

 

A contagem de carboidratos é uma alternativa útil e eficaz, que proporciona uma maior liberdade de escolha, garantindo um controle adequado do diabetes.

 

PLANO ALIMENTAR

 

Não existe um plano alimentar padrão para a pessoa com diabetes. A ingestão de cada nutriente deve ser individualizada, baseada na avaliação nutricional, perfil metabólico, peso e objetivos do tratamento. 

 

Aumentar ingestão de fibras (14g de fibras para cada 1000 kcal da dieta). As fibras são componentes dos alimentos que não fornecem calorias, vitaminas ou minerais mas desempenham funções no sistema gastrointestinal, atuando na prevenção e tratamento de diversas doenças. São facilmente encontradas em alimentos de origem vegetal, como hortaliças, frutas e cereais integrais, ou seja, em alimentos consumidos com cascas e bagaços.

 

Especialmente as fibras solúveis têm um papel muito importante de RETARDAR A ABSORÇÃO DE AÇÚCARES para o sangue, podendo evitar picos glicêmicos. As fibras insolúveis também são importantes para o controle de peso corporal, pois contribuem para maior SENSAÇÃO DE SACIEDADE.

 

E por fim, planeje as suas refeições!

 

Existem inúmeras evidências científicas que demonstram que uma dieta Low Carb é mais eficaz no controle do diabetes. Saiba mais aqui!

 

DIETA LOW CARB E DIABETES

Dieta Low Carb - Diabetes e Obesidade

Dieta Low Carb e Diabetes: avaliação em pessoas com albuminúria

Dieta Low Carb e Diabetes: avaliação da função cognitiva

Dieta Low Carb e Diabetes: eficacia na população japonesa 

Dieta Low Carb e Diabetes: avaliação do humor e qualidade de vida

Dieta Low Carb e Diabetes: diabetes tipo 1 e dieta low carb 

Dieta Low Carb e Diabetes: segurança renal

Dieta Low Carb e Diabetes: gordura visceral (esteatose hepática)

Dieta Low Carb e Diabetes: restrição de carboidrato conforme controle glicemico 

Dieta Low Carb e Diabetes: beneficios e riscos

Dieta Low Carb e Diabetes: 11 motivos para escolher Low Carb!

Dieta Low Carb e Diabetes: qual dieta mais melhora a qualidade de vida?

 

Na CONSULTA COM O ENDOCRINOLOGISTA tire as suas dúvidas e informe-se. A informação é um importante remédio no TRATAMENTO DO DIABETES!

ImprimirEmail

Consultórios

 

Clínica Instituto Aster

Unidade Campo Belo - Brooklin
Rua Paiaguás, 152
www.astermedicina.com.br

Hospital Israelita Albert Einstein

Unidade Perdizes - Higienópolis
Rua Apiacás, 85 3º andar
www.einstein.br

dr rodrigo bomeny

Conteúdo de caráter informativo. Consulte sempre um endocrinologista.

Copyright © Dr Rodrigo Bomeny. Todos os direitos reservados.

Endocrinologista SP - São Paulo - Zona Sul e Zona Oeste

Endocrinologista USP - Coaching em Saúde e Emagrecimento

instagram

Siga no Instagram: @dr.rodrigobomeny

Site criado por Empório de Sites e otimizado por Agencia Digital